segunda-feira, 4 de junho de 2012


Uma história de (des)amor que não é a minha - parte XXV

 
***Maria***
Maria: Quais é que são as hipóteses que tenho?
Salvador: Ora bem por ser para ti tens duas hipóteses, ou sim ou sim
Maria: Posso escolher as duas?
Salvador: Hmm… Acho que sim
(E beija-me)
Estivemos a noite inteira a trocar lamechices e sinceramente ele é fantástico, e se o David e o André seguiram as vidas deles porque é que eu não poderia seguir a minha? Nós não tínhamos anda. E os três chegamos ao acordo que éramos bem melhor como amigos que como namorados. E agora tenho é de descansar que amanha ou melhor, daqui a umas horinhas tenho de acordar porque vou ter um dia muitíssimo complicado…
***Salvador***
Há coisas que na verdade não se explica, e muitas outras que nem tem como entender, como o que estou a sentir agora, uma sensação de formigas na barriga, não formigas não é o animal certo. Opah são aquelas as voadoras que tem umas assas fantásticas essas sim são o animal certo. Essas faz-me lembrar a Maria com o seu ar despreocupado preocupadamente, o seu ar doce e colorido.
Na verdade as borboletas são mesmo o animal certo, porque quando estamos apaixonamos é sempre Primavera mesmo que esteja a chover e é sempre tudo muito colorido, e olha para mim agora a falar destas coisas às 4da madrugada… O amor tem mesmo destas coisas…
***Maria***
Acordo super bem disposta e um cheiro simplesmente delicioso invade-me o quarto vem do piso debaixo como se a minha avó estivesse a preparar um pequeno-almoço mesmo à minha medida, decido descer as escadas de mansinho e ir até à cozinha sem acordar ninguém pelo caminho, mas oiço vozes na cozinha, aproximo-me sem deixar ser vista e oiço…
Salvador: As avós sabem sempre tudo não sabem?
Benedita: Tudo, tudo não, mas um bom bocadinho sim. Tu e a Maria entenderam-se de uma vez por todas não foi?
Salvador: Está a ver, sabem sempre tudo
Benedita: Não é preciso sabermos tudo para ver que estás “doidinho”, um rapaz só se levanta cedo para preparar o pequeno-almoço quando está apaixonado. E na verdade não podemos escapar ao amor, quando ele chega tudo se transforma, parecer que o tempo pára não é? Ou simplesmente passa sem que nos demos conta. O amor é algo que vem de mansinho sem avisar e é quando menos se espera que ele invade-nos com uma certeza que nos arrebata. O amor é um sonho do qual ninguém quer acordar e eu só quero que sejam felizes…
Salvador: E isso é tudo o que eu mais quero ser feliz, fazendo a Maria feliz
Benedita: E bem merecem, mas tem todo o tempo do mundo…
Estas palavras todas foram as mais bonitas que ouvi numa manha em toda a minha vida, a minha avó sabe muito e na verdade ela será sempre uma apaixonada e espero que me ajude a juntar os meus pais, seja o que for que tenha acontecido eu quero-os juntos quando como era criança e mais que isto eu quero que eles sejam felizes e o que é verdade é que foram muito felizes juntos…
Migalhas Felizes

2 comentários:

  1. Olá, criei um novo blog pessoal, e vou apagar o meu antigo se queres continuar-me a seguir deixo-te aqui o link :)
    Passa por lá e diz se gostas.
    http://marianaaduarte.blogspot.pt/
    Grata pela compreensão. Beijinho Mariana Duarte ♥

    ResponderEliminar
  2. Desculpa não ter andado a passar por aqui mas tenho andado ausente por causa da escola e agora vou ter exames :s escreves bue bem :)

    ResponderEliminar

"Desaprender para aprender. Deletar para escrever em cima.
Houve um tempo em que eu pensava que, para isso, seria preciso nascer de novo, mas hoje sei que dá pra renascer várias vezes nesta mesma vida. Basta desaprender o receio de mudar"